Acréscimos "Notas do Autor" - Versão de 1951

 

Conforme descrito na História da Autobiografia, mesmo antes de lançar sua autobiografia definitiva em 1951, para a edição Londrina de 1949, Yogananda escreveu em Nota do Autor: ¹

    "Os ajustes para a edição londrina do  livro deram-me a oportunidade de revisar e aumentar um pouco o texto. Além do novo material no último capítulo, acrescentei várias notas de rodapé, nas quais respondo a perguntas feitas pelos leitores da edição americana."

É unanimidade geral entre os leitores, que uma das chaves da Autobiografia se encontra justamente nas inúmeras Notas de Rodapé explicativas, algumas até de página inteira. Quando Yogananda diz que acrescentou "várias", podemos interpretar como uma expressão de modéstia, pois apenas suas notas comporiam outro livro.  Na edição de 1946 elas apareciam brevemente. Foi em 1951 que Yogananda registrou um substancial acréscimo, em detalhados esclarecimentos sobre os mais diversos e complexos assuntos (além de inserir muitos poemas), em praticamente todos os capítulos do livro, como os de nr. 2, 4, 5, 7, 8, 9, 10, 12, 14, 15, 16, 17; nos capítulos 20 a 30; 32, 33, 38, 39, 40, 41, 43, 44, 45, 46, apenas para citar alguns exemplos.  

¹ Um exemplar do livro de 1949 com a nota do autor pode  ser visto aqui

    

 

Capítulo 2 - A morte de minha mãe e o amuleto místico

Em uma longa nota de rodapé com vários parágrafos e mais de 60 linhas, Yogananda detalhou a misteriosa estrutura do amuleto místico, tecendo amplas analogias:
O amuleto era um objeto produzido astralmente. (...) Em parte alguma, os poderes do som e de vach, a voz humana, foram tão profundamente pesquisados (...) O mântra inscrito no amuleto possuía (...) George Bernard Shaw escreveu um ensaio sagaz sobre a impropriedade fonética (...) Cada vez que o homem pronuncia uma palavra, ele põe em ação(...) A descoberta de sinetes no Vale do rio Indo está levando vários eruditos a (...) Disse sir William Jones, fundador da Sociedade Asiática: “0 sânscrito, seja qual for a sua antigüidade (...) Desde o ressurgimento dos estudos clássicos, não houve acontecimento mais importante na história da cultura que (...)

Capítulo 3 - O Santo com dois corpos

Em quase 20 linhas e vários parágrafos, Yogananda explicou melhor os poderes yogues do santo:

Na época de nosso encontro, Pranabananda era, de fato, um mestre completamente iluminado (...)  um iogue não encontra dificuldade em desempenhar (...) Depois de sua aposentadoria, Pranabananda escreveu (...) O poder de aparecer em mais de um corpo é um siddh (...) A. P. Schimberg, em “A História de Tereza Neumann” descreve (...) o fenômeno da bilocação, registrado na vida de muitos santos (...)

Capítulo 4 - Minha fuga interrompida rumo ao Himalaia.

Ao explicar o princípio do ego, Yogananda acrescentou quase 20 linhas, incluindo diversos versículos do Bhagavad Gita: “Nada do que faço sou eu quem faz! Assim pensará quem se atém à verdade das verdades (...) Sempre seguro de que este é o mundo dos sentidos(...) o Senhor de todas as coisas vivas (...)

Inseriu a fotografia do Swami Kebalananda, discípulo de Lahiri Mahasaya e seu instrutor de sânscrito, além da foto da sua residência familiar na India.

Capítulo 5 - Um “Santo dos Perfumes”exibe seus prodígios

Modificou uma nota de rodapé e acresceu diversas outras com quase 50 linhas:

Estudando a consciência, os psicólogos ocidentais limitam-se a investigar o subconsciente e as doenças mentais tratadas pela (....) O universo está representado em cada uma de suas partículas (....)  “Comprar e vender”, sem jamais esquecer Deus (...) O quádruplo, plano védico para a vida humana é, contudo, bem equilibrado para as massas(...) Grandes mestres, cada um a seu modo e com freqüência arrastando oposições amargas, esforçam-se (...) Ahímsa, “não-violência”, denominada “virtude integral” (sakalo dhárma) no Mahábhárata, é um preceito positivo, devido (....) Nenhum homem escapará de agir ao omitir-se (...)

Capítulo 7 - O Santo que levita

Acrescentou outras com quase 30 linhas, traçando a analogia entre os santos cristãos e hindus:

"Emerson escreveu -Um homem é a fachada de um templo onde habitam toda a sabedoria e (....) Entre os santos que se levitam, no mundo cristão (...) São José exibia um alheiamento do mundo que era (...) Santa Teresa de Ávila, habituada à grande elevação de alma, achava (...) O corpo de Santa Teresa, que jaz numa igreja de Alba (...)

Capítulo 8 - Jâgadis Chandra Bose, Grande Cientista da Índia

Acrescentou uma longa nota de página inteira, além do retrato do cientista:

0 “hino intitulado Sama”que se menciona no poema de Tagore é um dos quatro Vedas (...) A Vedanta, sumário dos Vedas, inspirou muitos dos grandes pensadores (...) O historiador francês Victor Cousin (...) Na imensa literatura da índia, os Vedas (...) Schlegel observou: “Mesmo a mais elevada filosofia européia, o idealismo de razão (...) Diz-se que os Vedas, revelações divinas feitas aos ríshis (...) Os Vedas, revelados por meio do som, foram (...)  Durante milênios, as 100.000 estrofes dos Vedas não foram escritas, mas transmitidas (...) Observando a ordem especial (anupúrvi) em que as palavras védicas ocorrem, e auxiliados pelas regras fonéticas de combinação (...)

Capítulo 9 - O devoto bem-aventurado e seu romance cósmico

Neste capítulo, Yogananda ainda acrescentou mais duas páginas homenageando Mestre Mahasaya, além da inclusão de notas novas: S. João da Cruz (...) Encontrou-se o corpo deste amoroso santo cristão, morto em 1591 (...) Sir Francis Younghusband (Aflantic Mondy, dezembro de 1936) referiu-se à sua própria experiência (...)

Capítulo 10 - Encontro meu Mestre, Sri Yuktéswar

Numa extensa nota de rodapé Yogananda presta homenagem à Shankaracharya e relata algumas histórias sobre esse famoso ícone espiritual da India:

Shânkarachárya (Shânkara), o maior filósofo da índia, foi discípulo de (...) Usando de lógica irretorquível e num estilo de graça e encanto (...) Sanândana, discípulo de Shânkara, escreveu um comentário sobre (...) O manuscrito foi destruído pelo fogo, mas Shânkara (...)  Desde então, o discípulo tornou-se conhecido como (...) O próprio Shânkara escreveu as seguintes linhas de (...) Nenhuma comparação existe, nos três mundos, adequada a um verdadeiro guru.(...)  O mestre venerado, ao contrário, faz, do discípulo (...) Shânkara foi uma rara combinação de santo, erudito e (...) Apesar de ter vivido apenas 32 anos (...) O zelo reformador de Shânkara incluiu a reorganização da veneranda Ordern Monástica dos Swâmis (...) Os quatro maffis do grande monista, recebendo doações liberais de príncipes e gente do povo, davam (...) O objetivo de Shânkara, ao localizar seus maffis nos quatro cantos (...) Hoje, como no passado, o hindu piedoso encontra (...)

Capítulo 12 - Anos no eremitério de meu Mestre

Nenhuma criatura, seja ela qual for, manifesta hostilidade em presença de (...)  Meu guru aprovava o jejum como (...) O mencionado discípulo, porém, preocupava-se (...) A serpente, muito temida na índia, causa (...) Quando assim o queria, o Mestre podia instantaneamente sintonizar sua mente com (...) Seus poderes como rádio humano (...)

Capítulo 14 - Uma experiência em consciência cósmica

Transmiti a Visão Cósmica a certo número de Kriya Yogis (...) Vê-se um deIes, o sr. James J. Lynn (...) samádhi na fotografia  (...)

Capítulo 15 - O roubo da couve-flor - Em quase 30 linhas, mais explicações sobre os chakras são detalhadas:

O despertar dos centros cerebrospinais ocultos (...) o “Apocalipse”, contém a exposição simbólica da (...) João mencionou o “mistério das sete estrelas” (...) as “sete portas da armadilha” no eixo cerebrospinal (...) O sétimo centro, o “lótus de mil pétalas” no cérebro, é o (...) No estado de iluminação divina, diz-se que (...) A “posição de lótus” é assim chamada porque (...) Cada lótus possui um diferente número de (...)  Mantém ereta a espinha e constitui um fecho de segurança para (...)  Padmásana pode apresentar certas dificuldades para o principiante, e (...) Orientação de um especialista em Hatha Yoga (...)

Capítulo 16 - Mais esperto que os Astros - No final desse capítulo, uma página inteira foi utilizada para a nota de rodapé, acerca da reencarnação.

O entendimento da lei do carma e de seu corolário, a reencarnação (...) As leis contemporâneas, decididamente, não são (...)  A doutrina foi declarada heresia, pela primeira vez, no ano 553 depois de Cristo, pelo segundo Concílio de Constantinopla (...)Se todo assassino deve, por sua vez, ser morto “pelo homem”, o processo reversivo exige (...) A lgreja Cristã primitiva aceitou a (...) inclusive S. Clemente de Alexandría, o famoso Orígenes (...) Naquele tempo, muitos cristãos julgaram que (...) As verdades suprimidas conduzem desnorteantemente a (...) Milhões de pessoas não utilizaram sua “única vida” para (...) A verdade é que o homem se reencarna na Terra até (...)

Capítulo 17 - Sasi e as três safiras - Quase uma página com dezenas de linhas descortinando sobre o sistema educacional:

Sri Yuktéswar, como tantos outros sábios, preocupava-se com a tendência materialista da educação moderna (...) Poucas escolas expõem as leis espirituais para obter a felicidade ou (...) Os jovens, ouvindo hoje em dia, nas escolas secundárias e faculdades, que (...) Emerson observou: - “Só o que temos dentro de nós é o que podemos (...) Quem imagina que sua natureza animal é a (...) Um sistema educacional que não apresenta o Espírito como o (....) está oferecendo avídya, conhecimento falso (...) Ideal era a educação da juventude, na Índia da antigüidade (...) O jovem moderno emprega anualmente um oitavo de seu tempo na (...) Havia um sentimento sadio (...) ampla oportunidade para o exercício de autoconfiança e individualidade (...) da nobreza e dos grandes objetivos da vida humana (...)

Capítulo 19 - Meu Mestre, em Calcutá, aparece em Serampore - Coisas tais me foram reveladas que, tudo quanto escrevi (...) Assim falou S. Tomás de Aquino (...) Um dia, em 1273, durante a missa (...) A glória do conhecimento divino o inundo (...) Palavras de Sócrates (...)

Capítulo 20 - Não visitamos Cachemira - No final desse capítulo, novamente uma única nota ocupa quase duas páginas do livro em fatos sobre o Himalaya:

Na mitologia, Párvati é representada como filha do Rei Himalaia (...) Viajantes atônitos, passando ao sopé do pico inacessível, enxergam (...) Párvati, Káli, Durga, Uma e outras deusas são aspectos de (...) Deus ou Shiva em seu aspecto (...) Seu shaktí (energia, força ativante) é relegado a (...) Os poderes femininos criadores que possibilitam (...) Histórias mitológicas nos Purânas dão o Himalaia como (...)  diz-se poeticamente que o Ganges -flui do céu para (...) o “Shakespeare da índia”descreveu o Himalaia como (...) escreve F. W. Thomas em A Herança da India (...)  Certos sectários de Shiva não (...) Um dos santos patronos de Cachemira, do século 14, Lallá Yogíswar (...) Segundo o modo de pensar, um tanto drástico, de Lalla (...) A santa praticava uma técnica, de estreito parentesco com Kriya Yoga (...) Não sujeita à morte comum, a santa desmaterializou-se em fogo (...)

Capítulo 21 - Visitamos Cachemira - Várias notas foram acrescentadas nesse capítulo

Humayun veio a ser o pai de Akbar, o Grande (...) Com zelo islâmico, Akbar perseguiu (...) Milagres ocorrem nos templos de todos os credos (...) Akbar, inexata mas amorosamente, atribuiu à Cristo a seguinte afirmação (...) Atleta alemão, conhecido como o (...)

Capítulo 22 - O coração de uma imagem de pedra - Bel, do sânscrito bilva (...) Comestíveis e medicinais (...)  associada ao culto do Senhor Shiva (...) Deusa; literalmente, “a que brilha”, da raiz do verbo sânscrito (...)

Capítulo 23 - Recebo meu diploma universitário - Novas notas de acréscimo e meia página no final do capítulo

Esqueci as palavras exatas do questionário, mas (...)  Devido à sua erudição, o sr. Ishwar Chandra tornou-se amplamente conhecido em (...) O poder de influir sobre a mente alheia e o curso dos acontecimentos (...)  sendo o resultado de “compaixão universal (...) Todas as Escrituras proclamam que o Senhor criou (...) 0 domínio sobre o universo parece sobrenatural, mas (...) Homens que obtiveram a realização de Deus, como Sri Yuktéswar, estão livres do (...) Dizendo-o com as palavras de Emerson, todas as grandes almas tornam-se (...) Qualquer homem de realização divina pode executar milagres porque (...) Nenhum crítico mundano pode ler o secreto pergaminho do (...)

Capítulo 24 - Eu me torno monge da Ordem dos Swamis - Aqui também Yogananda aprofunda o tratado da Yoga, suas diferenças e conta mais sobre Patânjali.

Desconhece-se em que época viveu Patânjali, embora (...) Os ríshis escreveram tratados, sobre uma vastidão (...) os séculos têm sido impotentes para (...) Esses sábios nenhum esforço fizeram para estampar em suas obras (...) Suas curtas vidas eram apenas temporariamente importantes como lampejos da (...)  A verdade é intemporal - sendo impossível gravar-lhe marcas (...) Muitas pessoas mal informadas usam o termo ioga ou no sentido de Hatha Yoga (...) Quando os eruditos, porém, falam de ioga, referem-se ao sistema (...) Este tratado abrange conceitos filosóficos de tal grandeza que (...) Como os outros cinco sistemas filosóficos ortodoxos (...)  os Yoga Sútras consideram que a “magia”da pureza moral (...) A ordem cósmica (ritá) que sustenta o universo não é diferente da ordem moral que governa o (...) Quem não se dispõe a observar os preceitos éticos universais não (...) A secção III dos Yoga Sútras menciona vários poderes iogues (...) A via da ioga divide-se em quatro etapas, cada uma com (...) Deus não se revela a quem, ao procurá-lo, se satisfaz com (...) A limalha de ferro do carma é atraída apenas onde um imã de (...)

Capítulo 25 - Meu irmão Ananta e minha irmã Nalini -  Nesta nota de quase uma página, ele alonga-se sobre a Verdade e a composição energética do corpo humano:

Os mundos estão construidos sobre o alicerce da verdade, todas as Escrituras a enaltecern como (...) Mahátma Gandhi freqüentemente dizia (...) Ao longo dos séculos, o ideal de sátyá (verdade) tem (...) Marco Polo conta-nos que os brâmanes não (...) Um juiz inglês na índia, William Sleeman, afirma (...)  Pérolas e outras jóias, bem como plantas e metais, aplicados diretamente à pele, exercem (...)  O corpo do homem contém carbono e vários elementos metálicos que (...) As descobertas dos ríshis nestes campos receberão (...) O corpo sensitivo do homem, com suas correntes vitais elétricas, é (...) Sri Yuktéswar tinha outra razão para (...) Os Mestres nunca desejam aparecer como (...) quando as pessoas procuravam meu guru para serem curadas, ele as aconselhava a (...) Esses braceletes e jóias possuíam, além de suas potências curativas (...)

Capítulo 26 - A Ciência de Kriya Yoga - Como não poderia deixar de ser, nesse capítulo Yogananda atualiza experimentos científicos, traçando o paralelo com a meditação:

A ciência moderna está começando a descobrir os efeitos curativos e rejuvenecedores (...) O dr. Alvan L. Barach, da Faculdade de Medicina e Cirurgia de Nova York, deu início a (...) O uso de uma câmara de pressão estabílizadora permite ao enfermo cessar (...) O New York Times de 1 de fevereiro de 1947 reproduziu a (...) O efeito da cessação dos fenômenos respiratórios sobre o (...)  O desejo de fumar desaparece quando a respiração voluntária cessa, até mesmo em (...) Em 1951, o dr. Barach confirmou publicamente o valor do (...) Não apenas descansa os pulmões, mas também o corpo inteiro, e (...) Começa-se a compreender como é possível aos iogues sentarem-se imóveis por longos períodos, sem (...) Somente através dessa quietude a alma pode encontrar (...)  O iogue de nada mais necessita, além da técnica de Kriya Yoga, para (...)

Capítulo 27 - Fundação de uma escola de Ioga em Ranchi - Os grandes iogues “entram” e “saem” do olho espiritual, estrela de prana e (...)  Cristo disse: “Eu sou a porta; através de mim, qualquer homem que entre, será salvo (...) O ladrão (Máya ou ilusão) só vem para roubar, matar e destruir (...) Eu (a Consciência Crística) vim para que (...)

Capítulo 28 - Renascimento e descoberta de Káshi - Outra longa nota explicativa sobre a morte e reencarnação

Embora muitos homens, após a morte física, permaneçam no mundo astral, de quinhentos a mil anos (...) Não há lei invariável  tempo entre as (...)O período em que um homem vive num invólucro astral ou físico é (...) A morte e, naturalmente, o sono, “a pequena morte”, são uma (...) Como a natureza essencial do homem é Espírito, ele recebe no sono e na morte certos (...) A lei equilibradora de carma, exposta nas Escrituras hindus, é a da ação e reação, causa e efeito (...) No processo da justiça natural (ritá), cada homem, por seus sobre o decurso de (...) Todo segredo é dito, todo crime é punido, toda virtude é recompensada (...) Ernerson, em “Retribuição" (...) Entender o carma como lei de justiça, em que se fundamentam as desigualdades da vida, serve para (...)

Capítulo 30 - A Lei dos Milagres - Em uma página inteira no final do capítulo, Yogananda traçou um amplo detalhamento sobre esse tema, invariavelmente abordado em todo o livro. É unanimidade, que apenas essa nota representa um verdadeiro tratado!

Dei, neste capítulo, a explicação védica de máya, o mágico poder de ilusão subjacente aos mundos dos fenômenos. (...) Considera-se, geralmente, milagre um efeito ou um acontecimento sem lei ou acima da lei (...) Todos os acontecimentos ocorrem segundo leis e são explicáveis por leis. Os poderes, assim chamados milagrosos, de um grande mestre são (...) Nada se pode denominar verdadeiramente “milagre”, exceto no sentido profundo de que tudo é milagre. (...) Grandes profetas como Cristo e Láhiri Mahásaya costumam fazer muitos milagres. (...) Mestres desse porte possuem uma enorme (...) Ajudar miraculosamente os que estão em desespero parece ser uma parte de sua missão. “Fiats” divinos fazem-se necessários para as doenças incuráveis e (...) A ciência ocidental já descobriu que a “matéria” atômica se coloca num plano de (...) Não só a natureza, mas também o homem (em seu aspecto mortal) está sujeito a (...) Não se imagine que a verdade sobre máya só foi compreendida pelos ríshis (...) Os profetas do Velho Testamento referiam-se a máya quando falavam de Satã (...) No Testamento grego (...) Máya ou Satã é o Mágico do Cosmo, que produz a multiplicidade de formas para (...) O jogo (lila) de Deus, a única função de (...) Cristo descreve máya pitorescamente, como um demônio, um assassino e um mentiroso (...) A manifestação da Consciência Crística, dentro do próprio ser do homem, destrói (...)

Capítulo 32 - Rama é ressuscitado - O título religioso de Mahásaya, em sânscrito, significa “de mente vasta” (...) Para muitas mentes, é difícil conceber Deus sob o aspecto de Shiva ou Destruidor (...) : Porque Tu criaste os mundos, apenas para destruí-los? (...) Pela vigorosa marcação rítmica de Teus pés, a segurança da Terra (...) As estrelas no éter viram-se dispersas (...) Perturbar o mundo a fim de salvá-lo - que mistério é (...) O antigo poeta conclui (...) As águas de Mãe Ganga, rio sagrado dos hindus(...) Milhares de santos preferiram permanecer junto ao Ganges e deixaram (...) Um aspecto extraordinário, e talvez ímpar, do rio Ganges é (...) Nenhuma bactéria vive em sua (...)l. Milhões de indianos usam suas águas, sem perigo (...) Este fato desconcerta os cientistas (...) Um deles, o dr. John Howard Northrop, co-laureado com o Prêmio Nobel, de Química em 1946, disse (...) “Talvez o bacteriófago (...) Os Vedas inculcam reverência a todos (...). O hindu devoto compreende bem o louvor de São Francisco de Assis (...)

Capítulo 33 - Bábaji, O Cristo-Iogue da Índia Moderna -

Shânkara, cujo guru, historicamente conhecido (...) Recebeu a iniciação em Kriya Yoga de Bábají, em Benares (...) Bábají, ao contar a história a Láhiri Mahásaya e a Swmi Kebalananda, forneceu muitos detalhes (...) Bábají (Pai Reverenciado) é um título comum. Diversos instrutores (...) Nenhum deles, porém, é Bábají, o guru de Láhiri Mahásaya (...) Era um teste de obediência. Quando o mestre iluminado ordenou (...) Se hesitasse, renegaria sua afirmação de que consíderava a vida (...) “Mãe Sagrada”. Mátají, também, tem vivido através dos séculos; ela é quase  tão adiantada espiritualmente (...) Permanece em êxtase numa secreta caverna subterrânea (...) Nesta afirmação, Jesus não se referia à vida imortal no corpo físico (...) 0 homem iluminado de quem Jesus falava é aquele que despertou do transe mortal (...)  0 invólucro carnal, compulsório ou cármico, é (...) As Escrituras hindus ensinam que o nascimento e a morte são manifestações de (...) Bábají não está limitado a um corpo físico ou a este planeta, mas, por vontade de Deus, encontra-se (...) Os grandes mestres como Sri Swâmi Pranabananda (cap. 27) que voltaram à Terra em novos corpos, fazem-no por motivos que (...) Sua encarnação neste planeta não está sujeita às (...) Regressos voluntários chamam-se vyutihana ou retorno à vida terrena depois que (...) um mestre que se unificou com Deus é capaz de ressuscitar seu corpo e (...)  Materializar os átomos de um corpo físico não exige grande esforço dos poderes (...) “Dou a minha vida para tornar a tomá-la” (...)

Capítulo 38 - Lutero Burbank - um santo entre as rosas - O dr. Julian Huxley, famoso biologista inglês e diretor da UNESCO, afirmou recentemente que (...) “aprender as técnicas orientais”para entrar em estado de transe e controlar (...) Um despacho da Associate Press, em 21 de agosto de 1948 (...)  fariam melhor se examinassem a literatura mística do Oriente (...) aconselhou ele aos especialistas em psicologia (...)  então penso que se avançaria um enorme passo em seu (...)

Capítulo 39 - Teresa Neumann, a estigmatizada católica - Desde 1939, início da última guerra, Teresa não sofria a Paixão em cada sexta-feira, mas (...) Outras crônicas de Teresa Neumann”; por A. P. Schimberg (1947)...  “A História de Teresa Neumann”; todos publicados por Bruce Pub. Co (...) E também “Tereza Neumann”, por Johannes Steiner (...) Um despacho da agência “International News Servíce”, vindo da Alemanha, em 26 de março de 1948, informava (...) “Urna camponesa jazia em seu catre nesta Sexta-feira Santa (...) Milhares de alemães e de norte-americanos, cheios de temor reverente (...) 0 ideal grego, a que fazem eco as filosofias ocidentais, é (...) Um hindu diria: “Homem, conhece o teu Ser divino (...) A mente humana, à semelhança do mundo dos fenômenos (...) A satisfação intelectual não constitui (...) Quem busca a Deus é realmente amante de vídya (...)

Capítulo 40 - Regresso à Índia - Foram incluídas diversas notas sobre assuntos variados

Capítulo 41 - Ídolo na Índia Meridional - Além de conteúdo novo no corpo do capítulo, foram inseridas longas notas sobre a India antiga, o reino de Asoka, sobre Buda, sugestão de literaturas, etc.

Capítulo 43 - A ressurreição de Sri Yuktéswar - Nessa passagem Yogananda também acresceu importantes notas explicativas sobre o mundo astral, teceu paralelos com o Gita, a biblia, citou o uso de drogas que transportam a consciência para vibrações inferiores, etc.

Capítulo 44 - Com Mahátma Gandhi em Wardha - Além do conteúdo novo, também foram acrescentadas notas explicativas sobre vários assuntos relacionados à Gandhi, India, liberdade, não-violência, política, etc

Capítulo 45 - A “Mãe Saturada de Beatitude” - Aqui Yogananda também acresceu algumas notas sobre Ananda Moyi Ma, incluindo citações de sabedoria da santa.

Capítulo 46 - A mulher iogue que nunca se alimenta - Nas atualizações, Yogananda destacou diversos santos cristãos com poderes yogues de viver sem alimento e falou sobre a técnica respiratória usada por Giri Bala, antes omitida.

Capítulo 49 - O período de 1940 a 1951 - Nesse novo e último capítulo de 20 páginas acrescentado em 1951, também houve esmero em longas notas explicativas.

 

ATUALIZAÇÕES PELA SELF-REALIZATION

Também merecem destaques as 60 fotografias, as atualizações realizadas pela organização de Yogananda, que o homenageia com o relato sobre seu mahamadhi, a inclusão do famoso retrato "O último Sorriso", a narração da história do livro, bem como informações de sucessores e lançamento de obras inéditas. O acervo completo de Paramahansa Yogananda pode ser encontrado na Livraria e Distribuidora Omnisciência.

 

 

    

 

Acréscimos por Yogananda no corpo do texto - Autobiografia 1951

Manifesto Público em Defesa da Versão Definitiva

Voltar Menu